Produção: O naufrágio

Produção

Não sei ao certo, mas a história começou a mais ou menos 2 anos atrás. Era uma história totalmente diferente, a protagonista Alice já saberia que o naufrágio era um atentado ao seu pai e a história giraria em torno da procura pelo assassino. Mas não foi isso que aconteceu quando escrevi. As ideias foram aparecendo e surgiu essa que é a versão real da web-série.

Terminada a escrita, enviei a sinopse da trama para o falecido blog UltraTV e conseguiu uma audiência mediana. Algum tempo depois os mesmo criadores do Ultra, criaram o, também falecido CenterTV e fizeram uma reedição.

Agora esta, que é a minha primeira das “webs” está sendo publicada em meu próprio blog e com poucas novas novidades em relação as primeiras versões.

O naufrágio – Capítulo 5

o-naufrafio

CENA 01: Selva

Renato e Sofia correm até Alice, que continua caída no chão. Otávio conversa com Cristiano.

OTÁVIO: Então, quer dizer que de repente você virou um santo e quer me denunciar?

CRISTIANO: Claro! Agora percebo o erro que cometi, afinal, Alice não tem culpa de nada.

Com isso, Cristiano assina sua sentença e é atingido com três tiros no peito.

CENA 02: Hospital

Renato se aproxima de uma enfermeira.

RENATO: Você pode me dar notícias de minha esposa: Alice Amaral?

ENFERMEIRA: O que posso te dizer é que ela está em estado de atenção. Logo você terá notícias mais concretas.

A enfermeira se retira deixando Renato preocupado. No mesmo momento o delegado chega.

DELEGADO: Sei que não é um momento bom, mas preciso saber quem atirou em Alice.

RENATO: Sei pouco sobre aquele monstro, mas a única coisa que sei é que estava pedindo uma passagem com o destino de Londres para agora de noite.

O delegado agradece e sai com outros policiais.

CENA 03: Aeroporto

Otávio está na seção de embarque e apresenta seus documentos, mas é surpreendido.

DELEGADO: Senhor Vianna, queira me acompanhar por favor?

Imediatamente, Otávio apresenta um semblante de desespero e é levado pelos policiais.

UM MÊS DEPOIS.

CENA 04: Casa Amaral

Alice está observando uma foto de seu pai.

ALICE: Ah, pai… Ainda não acredito que foi capaz de uma crueldade dessas, mas mesmo assim não concordo que tenha morrido de uma forma dessas. Hoje tudo se resolverá.

Renato abre a porta.

RENATO: Alice, vamos? Chegaremos atrasados.

Alice se levanta e acompanha Renato.

CENA 05: Penitenciária

Otávio está numa cela com dois outros detentos.

DETENTO: E aí, patrão? Vai ficar calado? Comé que tu chegou aqui?

OTÁVIO: Eu fui condenado à 40 anos. Mas não sei se vou aguentar esse tempo todo…

Abre-se a porta, é um agente com refeições. Otávio recebe a sua e ao abrir vê uma comida com aparência ruim.

CENA 06: Casa Amaral

Alice, Renato e Sofia estão vendo tv.

JORNALISTA (tv): Hoje, o ex-empresário Otávio Vianna apareceu morto dentro de cela. A suspeita é que ele tenha se suicidado.

Renato, então, se aproxima de Alice a abraçando. E Sofia repete o gesto. E é com uma imagem de união que se finaliza o último capítulo da web ‘O naufrágio’. 

FIM

O naufrágio – Capítulo 4

o-naufrafio

CENA 01: Casa Amaral

Renato olha para Alice com um ar de alegria. Mas os sorrisos duram pouco tempo.

CRISTIANO (telefone): Renato, não se preocupe porque/

RENATO (telefone): Seu desgraçado! Onde está minha filha?

CRISTIANO (telefone): Em boas mãos. Eu não quero dinheiro, somente que você e Alice venham aqui…

Renato anota todos os detalhes.

CRISTIANO (telefone): Só não quero polícia.

Renato desliga o telefone.

RENATO: Estranho. Um sequestrador simpático?

Alice fica com semblante preocupado.

CENA 02: Selva

Alice e Renato chegam em um casebre. Abre-se a porta, eles entram e lá encontram Sofia e Cristiano lendo um jornal. Família reunida e feliz, até a chegada do empresário Otávio Vianna. Todos ficam surpresos. Otávio fixa seus olhos em Alice, e faz um sinal para a saída de Renato e Sofia, que obedecem a ordem.

ALICE: Quem é você?

OTÁVIO: Um homem que há muito tempo procura destruir tudo o que seu querido pai construiu, inclusive você! O que aconteceu com sua família nesses dias foi sob meus comandos, era só uns sustinhos.

Alice continua calma, sem perder sua coragem.

ALICE: Foi você quem mandou naufragar a barca?

OTÁVIO: Sim, querida. Mas tenho meus motivos: vingança! Sabia que foi seu pai, Tiago, quem desgraçou minha vida ao matar minha mãe?

ALICE (já nervosa, ela grita): Mentira! Meu pai nunca faria isso!

OTÁVIO: É mesmo? Não acredite nisso…

Ele mostra uma manchete de jornal para Alice: “Assalto na mansão Vianna deixa a matriarca morta”.

OTÁVIO: Agora entende? Bom, o principal alvo morreu no naufrágio, mas você ficou…  E não posso deixar o sangue de um assassino continuar circulando.

Alice fica apavorada ao ver Otávio sacar um revólver. Ela tenta correr. Ouve-se gritos e um tiro. Cristiano observa com um semblante carregado por fazer parte de tamanha crueldade.

CONTINUA…

O naufrágio – Capítulo 3

o-naufrafio

CENA 01: Hospital

Alice olha em seu relógio de pulso que registra a hora da saída de Sofia da escola. Ela deixa seu esposo, que ainda dorme, sozinho e sai com aflição.

CENA 02: Fachada da escola

Alice sai do carro e vê que há várias crianças uniformizadas com seus pais.

ALICE: Sofia Amaral, por favor!

A inspetora procura por Sofia sem sucesso.

INSPETORA: A Sofia… ela, estava aqui!

Alice põe a mão no rosto em ato de preocupação. Ao fundo está Cristiano entrando em um carro junto com Sofia.

CENA 03: Carro de Cristiano

Cristiano está conversando com alguém no celular, sendo observado por Sofia.

CRISTIANO: Então irei levá-la para aquele lugar do combinado mesmo.

Ele desliga o celular e toma a direção.

SOFIA: Pra onde você está me levando? Quero minha mãe!

CRISTIANO:  Calma, bebê… Hoje mesmo você vai ver ela.

Sofia assustada com a situação, e Cristiano sorridente.

CENA 04: Casa Amaral

Ainda desolada, Alice chega em casa. Ela joga seus pertences no chão e se põe a chorar, sem ainda perceber que Renato a observa.

RENATO: O aconteceu?

Alice fica assustada ao ouvir a voz de seu marido.

ALICE: Renato? O que faz em casa? Não estava no hospital?

RENATO: Estava. Recebi alta depois de que você saiu de lá correndo, eu vi tudo… (Pausa) Você anda muito estranha, não estou entendendo.

Alice permanece calada e de cabeça baixa.

RENATO: Ainda não respondeu, o que aconteceu?

ALICE: Sofia, foi sequestrada.

RENATO: O que? Minha filha foi sequestrada…

O telefone toca e é Renato que atende. Ouve-se a doce voz de Sofia. Lágrimas no rosto de Renato.

CONTINUA…

O naufrágio – Capítulo 2

o-naufrafio

CENA 01: Casa Amaral

Alice está parada sem saber o que fazer. Ela retira o celular do bolso, disca um número e põe na orelha.

ALICE (telefone): Alô! Meu marido está muito ferido!

Ela continua na conversa, enquanto é abraçada por Sofia.

CENA 02: Fachada da Casa Amaral

Agentes de saúde levam Renato para a ambulância, e Alice se despede da filha.

ALICE: Olha, meu amor, eu vou com seu pai. Você ficará com a vizinha.

Sofia, com poucas lágrimas no rosto, abraça Alice. Tudo isso acontece enquanto Cristiano observa.

CENA 03: Mansão Vianna

Cristiano entra na sala.

CRISTIANO: Fiz tudo como o combinado. Qual será o próximo passo?

Em primeiro plano aparece uma mão com charuto, e ao fundo está Cristiano.

CENA 04: Hospital

Já é de madrugada, quando uma médica se aproxima de Alice, que está na sala de espera.

ALICE: Oi, como ele está?

MÉDICA: Não se preocupe! Ele está se recuperando bem. Creio que em pouco tempo estará em casa.

ALICE: Posso vê-lo?

A médica faz sinal positivo. As duas seguem juntas pelo corredor.

CENA 05: Hospital

Alice entra no quarto de Renato.

RENATO: Alice… sua presença me conforta e muito!

Os dois conversam. E nesse clima o dois passam a noite. Amanhece. Alice acorda no sofá ao lado da maca, e se dá  conta que há um bilhete em seu colo. Ela abre o papel: “Sua querida filha, cuidado com ela!”

 

CONTINUA…

O naufrágio – Capítulo 1

o-naufrafio

Há uma grande quantidade de pessoas apavoradas, gritam e correm, pois uma barca está a afundar.

CENA 01: Casa Amaral

Alice acorda assustada, ela olha para seu marido, que também acorda.

RENATO: O que aconteceu?

ALICE: Mais um de meus pesadelos…

Os dois se levantam.

CENA 02: Casa Amaral

Alice está com uma xícara de café. Chega Renato com uma carta na mão, e a entrega para Alice.

ALICE: Para mim? (Ela abre a carta e lê em pensamento) “Eu matei seu pai!”

Alice fica apavorada. Renato fica sem entender ao ver a apreensão de sua esposa que rasga o papel.

CENA 03: Delegacia

Alice conta para o delegado sobre o ocorrido.

DELEGADO: Bom, Alice Amaral, deixa-me ver se entendi, seu pai morreu em um naufrágio e você suspeita que aquilo tudo foi um atentado exclusivo a ele?

ALICE: Talvez sim. Eu queria saber o que o senhor pensa sobre isso.

DELEGADO: Isso não tem o menor cabimento! Foi comprovado que aquela barca já estava com problemas.

ALICE: Vejo que não conseguirei nada por aqui…

Alice se levanta da cadeira e se retira da sala, deixando o delegado pensativo.

CENA 04: Casa Amaral

Sofia, a filha de Renato e Alice, entra na casa vestida com o uniforme escolar, sua mãe entra em seguida.

ALICE: Depois você me conta tudo de como foi o seu primeiro dia de aula, tá bom?

Sofia faz gesto de ‘sim’ e sorri. Ela corre até a cozinha. Alice ouve um grito e corre para o mesmo lugar. Chegando lá ela encontra o chão com várias marcas de sangue e Renato caído, ensanguentado.

CONTINUA…

Opinião: As oportunidades da vida

opiniao

“A vida está difícil! Se houver oportunidades, é melhor aproveitar…” Essa é a realidade da atualidade.

Quantas vezes vamos ao supermercado e vemos os preços absurdamente caros? Pois é, pessoas aproveitam disso e roubam alimentos disfarçadamente. Mas mesmo assim, se acham no direito de reclamar dos políticos que roubam o dinheiro público.

Talvez se as pessoas olhassem para si, ver o que há de errado e tentar melhorar o mundo fosse melhor (tanto faz ser os políticos ou as pessoas do supermercado).

Vida de escritor

vida-de-escritor

Pessoas que convivem com a escrita são obrigadas a conviver também com os acasos.  E dessa vez um deles me acertou em cheio!

Certa vez escrevi uma nova versão da web-série ‘O naufrágio’ e salvei todo o arquivo na nuvem, E PERDI. Então a partir de agora estarei reescrevendo toda essa trama que espero eu que agrade todo o público (até este momento, já está reescrito dois capítulos). E quem sabe próxima segunda estará do seu lado da tela?

Essas são coisas da vida de escritor…

O naufrágio

o-naufrafio

Em breve estarei postando uma nova edição da web ‘O naufrágio’!

Essa é a primeira obra que criei, inicialmente para o blog UltraTV e depois para o CenterTV. Agora pretendo relança-la aqui no meu próprio site, totalmente reescrita e com poucas novas surpresas.

Sinopse: Alice é sobrevivente de um naufrágio que destruiu sua família. Durante todo um tempo ela acreditou que a causa desse desastre foi problemas técnicos na barca, mas nem tudo é o que parece ser.

Ela construiu uma nova família, casou-se com Renato e com ele tem uma filha. Tudo nessa família é alegrias, até Alice receber uma carta: “Eu matei seu pai!”

Opinião: A comédia do cinema brasileiro

opiniao

O contraste acontece quando moramos em um espaço onde o que mais se vê (ouve) são xingamentos, e vamos ao cinema nos entreter assistindo um filme de comédia onde os mesmos xingamentos predominam. (Claro, há raras exceções de boas comédias brasileiras.)

Acaso “eles” acham que para ter graça precisa de altas doses de palavrões?

É deprimente a atual situação do cinema nacional no gênero da comédia… Poucos são os filmes realmente bons, e muitos ruins.